Pilates e Treinamento Funcional

Visitas

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Vacina para plantas poderá aposentar agrotóxicos

Está na hora de dar um salto tecnológico para proteger o meio ambiente e a saúde

Imagem apenas ilustrativa, não condiz com a técnica mencionada na matéria.

A vacina desencadeia um mecanismo conhecido como interferência de RNA, que é um mecanismo de defesa inato de plantas, animais e outros organismos eucarióticos, para se defenderem contra patógenos. A vacina pode ser direcionada ao patógeno escolhido usando moléculas de RNA que compartilham a identidade da sequência com os genes da praga, impedindo sua expressão.

Isto significa que as moléculas de RNA de fita dupla não afetam a expressão de genes na planta protegida, alvejando apenas a doença ou a praga da planta. O RNA também é uma molécula comum na natureza, que se degrada rapidamente, não se acumulando no meio ambiente, como os agrotóxicos, defendem os pesquisadores.

Um projeto colaborativo entre a Universidade de Helsinque (Finlândia) e o Centro Nacional Francês para Pesquisa Científica (CNRS) está propondo um caminho para essa nova rota tecnológica.

Em vez de aplicar venenos para matar as pragas e combater as doenças das culturas, o grupo propõe vacinar as plantas contra as doenças e as pragas.

Esse caminho pode tão controverso quanto o da indústria química, já que há muitas restrições à chamada biologia sintética, mas a equipe garante que as vacinas baseadas no RNA podem ser ambientalmente corretas.

"A nova abordagem para a proteção das plantas envolve a vacinação das plantas contra patógenos usando moléculas de RNA de fita dupla que podem ser pulverizadas diretamente nas folhas," explicou a professora Minna Poranen, da Universidade de Helsinque.

Para demonstrar seu conceito, a equipe desenvolveu um novo método de produção para moléculas de RNA de fita dupla e demonstrou a eficácia das vacinas baseadas em RNA produzidas usando o método contra infecções desencadeadas nas plantas por vírus.

O método utiliza o sistema de amplificação de RNA de um bacteriófago, isto é, um vírus destruidor de bactérias, e a produção de RNA é feita dentro de células bacterianas.

Mas talvez ainda não seja a hora de vender suas ações das empresas fabricantes de defensivos agrícolas: "É difícil prever quando a vacina será disponibilizada porque ainda não existe nenhuma legislação relevante," disse Poranen.

Fonte: Inovação Tecnológica

Bibliografia:
Synthetic biology approach for plant protection using dsRNA
Annette Niehl, Marjukka Soininen, Minna M. Poranen, Manfred Heinlein
Plant Biotechnology Journal
DOI: 10.1111/pbi.12904

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Saiba Mais